logo-novo-margarida-bugarim

COMO CRIAR UMA COZINHA PERFEITA EM OPEN SPACE

Como criar uma cozinha open space

A vantagem principal e mais comum para a aplicação deste conceito prende-se com uma otimização do espaço disponível. Quando nos deparamos com áreas pequenas e muito compartimentadas em projetos de reabilitação de apartamentos e a estrutura do edifício o permite, a minha  primeira tendência é unir a cozinha e a sala. Assim, o espaço fica mais amplo e desafogado de forma a dar mais fluidez de circulação e de permitir mais entrada de luz natural. Na minha ótica são só vantagens mas é fundamental perceber o que o dono da casa pretende e como quer experienciar esses espaços  pois o open space vai inevitavelmente tornar o apartamento com uma vivência mais informal, mais devassada.

 

Cozinha e sala unidos num mesmo espaço é uma tendência que tem vindo a ganhar cada vez mais apreço não só por uma questão de otimização espacial mas também devido às novas dinâmicas da família e da descontração com que vivemos e recebemos os convidados. 

Quantas vezes tem amigos a petiscar ou conviver enquanto última uma refeição porque não quer ficar sozinha na cozinha enquanto os outros se divertem na sala?

Hoje, a cozinha é a alma e o coração da casa e optar por este layout mais contemporâneo é assumir querer usufruir e desfrutar de tudo o que ela nos pode proporcionar. É quase um must-have mas para isso tem que ser objeto de uma preocupação adicional em termos de decoração, de funcionalidade e por acréscimo de arrumação.

 

 O principal desafio, é conseguir que duas  áreas completamente distintas que não estão separadas por paredes coexistam na perfeição e se fundam de forma harmoniosa. A ideia de aumentar a qualidade espacial tem que garantir que as vantagens são exploradas ao máximo e suplantam as desvantagens. É fundamental, por isso ponderar bem e ter alguns fatores importantes em consideração:

  1. Cozinha e sala têm funcionalidades distintas e o estilo pode não ser rigorosamente o mesmo mas tem que seguir uma mesma linha em termos cromáticos e com materiais que sejam harmoniosos e homogéneos  no seu conjunto.
  2. Embora os espaços estejam  unidos é aconselhável criar divisões ainda que ténues entre os diferentes ambientes. Peças chave como uma ilha, uma mesa de refeições uma coluna como uma lareira de 2 faces ou uma televisão bipolar são ótimas formas de criar uma diferenciação entre os espaços. 
  3. É importante priorizar armários fechados e rentabilizar os seus interiores com muita arrumação visto ficar com menos paredes.
  4. Como a cozinha passa a fazer parte da área social da casa perde-se a sua privacidade e por consequência deve-se criar formas de ter arrumação extra para tudo e principalmente para sujos. É importante ter especial atenção à limpeza e arrumação constante para que o espaço no seu todo seja agradável.
  5. Deve optar-se por eletrodomésticos embutidos para que haja mais uniformidade nos blocos de armários e optar por aparelhos mais silenciosos para não incomodar quando se está na sala.
  6. Por último, e talvez um dos aspetos mais importantes seja o dos cheiros. Para conseguir esta união perfeita de espaços é crucial que a cozinha tenha um exaustor muito potente e de grande qualidade para que a extração dos fumos e cheiros seja feita da forma mais eficiente.

 

Conseguindo reunir todos estes elementos o OPEN-SPACE PERFEITO é possível!

 

Margarida Bugarim

Arquitecta de Interiores